Home Os Dragões 2

Os Dragões - Parte 2

 


O Livro de Enoch certamente permanece como um dos mais interessantes para aqueles que se propõe a estudar a História da Terra no contexto da Historiografia Intergalática.

 

Como na época em que foi escrito a Terra vivia um tempo de tecnologia material primitiva, os protagonistas do livro não poderiam senão utilizar-se da linguagem figurada para tentar descrever as imagens que viam.

 

Esse é um livro que decisivamente reforça as teses do pesquisador suíço Erich von Däniken, segundo os quais os deuses citados em muitas mitologias e religiões eram astronautas de passagem pela Terra.



Durante a Segunda Guerra Mundial, as forças militares americanas em luta contra o Império Japonês tiveram que ocupar e construir diversas pistas de pousos em ilhas do Oceano Pacífico, cujos habitantes ainda viviam em comunidades de baixa tecnologia e pouco contato haviam tido com civilizações mais avançadas.

 

O resultado foi que após a partida dos americanos, esses habitantes primitivos construíram uma "religião" baseada nas aeronaves que pudessem observar nos céus.

 

Construíram modelos de palha bem parecidos com os aviões que viram e passaram a adotar o ritual de ficar olhando para os céus, aguardando o retorno dos "deuses" que outrora os haviam visitado.

 

O Livro de Enoch é rico nessas construções metafóricas: carruagens de fogo não seriam mais do que as naves e foguetes que os habitantes da época puderam observar maravilhados.

 

Porém, vale lembrar que nos céus existe uma verdadeira batalha ideológica entre diversos modelos de desenvolvimento espiritual a serem aplicados tanto em mundos materiais (terceira dimensão), quanto espirituais (outras dimensões), entre os que defendem a experiência luciferiana e os que são opostos.

 

Um exemplo interessante desse confronto que se deu em nosso mundo foi o momento da tentação vivida por Jesus no deserto.

 

Satan, um dos defensores do “modelo luciferiano”, faz o teste decisivo sobre Jesus, uma entidade de alto nível de evolução espiritual que naquele momento estava encerrado na terceira dimensão.

 

E esse era um teste realmente dos deuses: sobreviver no deserto, acreditando que não se está sozinho e que todas as necessidades serão devidamente providas pelas forças da natureza, deixando-se guiar pela sintonia.



Existem certamente outros mundos habitados, como é deixado bem claro no Livro dos Espíritos.

 

À medida que o espírito evolui e sobe de dimensão, passa a não precisar mais do corpo físico para se manifestar conscientemente.

 

Além das manifestações extraterrestres, existem também as manifestações intraterrestres.

 

Os espíritos intraterrestres mais evoluídos geralmente atuam sob a direção de inteligências em dimensões de luz muito elevadas no apoio e suporte à fauna e flora terrestres.

 

Muitos de seus personagens encontram-se descritos de forma figurada em religiões como a Wicca, a Umbanda, as religiões indígenas norte-americanas, as antigas religiões nórdicas que usam as runas como oráculos, etc.

 

Isso só para citar algumas.

 

Muitas dessas entidades são decisivas para a operação das chamadas “forças da natureza”.

 

Nossa Física tenta decodificar essas forças e fenômenos utilizando-se da linguagem científica, que no Universo como um todo é apenas mais umas das muitas formas de linguagem utilizada, só que nesse caso, mais ligada ao plano de manifestação material.

 

Exilados de Capela e Exilados 3º Milênio


Há um trecho interessante no Livro de Enoch a respeito da vida intraterrrena:

“ – Vá anunciar o castigo a Samyaza e aos demais que se uniram aos da Terra. Deixe que vejam seus descendentes morrerem e prende-os sob a Terra por 70 gerações até o dia da consumação universal. Extermina também todas as almas dadas a jogos.”.

 

Bem, fazendo as contas, levando em conta que hoje em dia o homem vive mais do que naquela época e, portanto, ponderando o peso dos séculos, e recuando no tempo, podemos localizar esse período como tendo se iniciado junto com o surgimento das primeiras civilizações, particularmente a dos sumérios.

 

Essas 70 gerações devem estar no seu final pelos dias que corremos, na medida em que nos afastamos da Era de Peixes e entramos cada vez mais na Era de Aquário.

Isso também não quer dizer que todos os intraterrenos estejam nessa “prisão”.

 

Cada líder, cada “reino”, cada território é um centro de energia que atrai as entidades que vibram na mesma frequência.

 

Quando alguém na Terra “morre”, se a energia que o ser estiver vibrando for muito densa, certamente será atraído para essas regiões mais de energia mais densa.

 

Se for mais elevada, poderá ser atraído para as colônias espirituais (aquelas citadas em livros espíritas) que são fundadas em planos paralelos ao da atmosfera terrestres.

 

Os Anjos Caídos “aprisionados” nesses territórios situados em outras dimensões são, entretanto, seres de grande poder e conhecimento, são nossos hóspedes aqui na Terra.

 

Eles possuem uma função específica: aplicar em nós a chamada “tentação”, para que possamos também progredir utilizando nosso livre-arbítrio.



Existem também as manifestações em planos paralelos em outras esferas do espaço, como planetas e estrelas.

 

No nosso sistema solar, por exemplo, todos os planetas são habitados em dimensões não materiais, e só a Terra possui uma humanidade em manifestação de terceira dimensão.

 

Há milhões de anos atrás, quando nossa Terra só possuía formas de vida unicelulares, como protozoários, bactérias e vírus, a manifestação de terceira dimensão estava no chamado planeta Maldek, que foi vítima de uma grande catástrofe e se transformou no cinturão de asteroides que existe entre Marte e Jupiter.

 

Os maldeckianos não souberam controlar o lado escuro da força (energia luciferiana) e acabaram por destruir seu próprio mundo.

 

Como ninguém morre no Universo, só muda o plano de manifestação, muitos maldeckianos mais atrasados espiritualmente mais tarde (quando a Terra já oferecesse condições) foram enviados ao nosso mundo para continuar seus estágios evolutivos.

 

Os mais adiantados puderam ser promovidos perfeitamente para mundos mais evoluídos.



Na batalha ideológica que se travou na superfície da Terra nos últimos milênios as forças das sombras sempre pareceram controlar a situação.

 

Mas na verdade, as forças das altas esferas de luz controlam a tudo de um modo muito sofisticado.

 

Os escritos e relatos que nos chegam sobre as forças da luz nos falam somente das dimensões de luz mais próximas a nós.

 

No Livro de Urantia e nos textos canalizados de Rodrigo Romo, por exemplo, Jesus e Lúcifer chegam a ser citados como sendo inteligências de das esferas de luz em torno danona dimensão.

 

Mas há relatos de que essas dimensões podem chegar a mais de 30!

 

E é dessas dimensões que o grande jogo cósmico se realiza.

 

Eventos como o meteoro que extinguiu os dinossauros há 60 milhões de anos e visitas de outras civilizações ao nosso mundo são tratadas nessas esferas de responsabilidades.

 

Enquanto foi possível se permitir esses contatos de forma mais incisiva como os relatados no Livro de Enoch, eles aconteceram.



Os integrantes das naves que fizeram contatos com o maravilhado Enoch certamente eram de civilizações de terceira dimensão que já haviam conseguido também um elevado grau da evolução moral.

 

Tanto é verdade, que deixaram entre nós exilados de seu mundo, tanto da terceira dimensão, quanto de outras dimensões extrafísicas.

 

Isso certamente ocorreu mais de uma vez: os exilados de Capela seriam outros desses contatos, só que de caráter mais espiritual.

 

Já no Livro de Enoch são tratados primordialmente os contatos do mundo físico.

 

Por isso, suas descrições de como é "o céu", certamente são uma tentativa de descrever o interior dessas naves (para aonde ele foi alçado) e as maravilhas tecnológicas que elas possuam.

 

A visão da Terra que ele podia ter lá de cima (os trovões e relâmpagos), as alturas dos gigantes deuses com quem ele teve contato (nossa altura física não é a padrão do Universo), todas essas descrições são sobre a realidade física.

 

Mas em planos paralelos as atividades também iam se desenvolvendo.

Vou agora fazer possíveis interpretações de interessantes trechos do Livro de Enoch que corroboram as ideias desenvolvidas nesses artigos sobre o Livro de Enoch:

“ Antes de tudo se cumprir, Enoch foi para o céu com Deus e sumiu.”

Um dos astronautas nesse momento pode ter levado Enoch consigo em uma nave de ligação para uma nave maior que estivesse orbitando em volta da Terra por aqueles dias.

Continuando:

“Lá (ele) tornou-se escriba do Senhor e o Senhor ditou a ele: - Escuta justo Enoch: vai dizer aos VIGILANTES do céu que são eles quem deveriam suplicar pelos homens e NÃO os homens suplicar por eles. Porque estes anjos abandonaram o céu,...”

Anjos que abandonaram o céu é uma referência aos astronautas “amotinados” ou “exilados”.

“...tornaram-se impuros com as mulheres, apaixonaram-se pelas filhas dos homens, casaram-se e deram início com uma raça herege.”

Com grande conhecimento tecnológico em genética, os astronautas amotinados podem ter iniciado experiências genéticas que acabaram por gerar novos seres físicos na face da Terra.

“Eram santidade, tinham vida eterna, mas agiram como os que são apenas sangue e carne, e estes foram criados para morrer, por isso ganharam mulheres, para ter filhos e perpetuar a raça na Terra.”



Esse trecho pode indicar que muitas humanidades mais avançadas como a nossa podem ter espécies que já não precisam mais passar pela experiência da morte física.

Isso é confirmado por diversos livros da literatura espíritas (livros ditados pelo Espirito Zana).


“Os gigantes irão gerar maus espíritos, pois o céu é só uma parte do seu ser.

 

E dos SANTOS VIGILANTES receberam origem.

Mas é na Terra a morada de quem nasceu na Terra.

Os gigantes serão flagelos de toda a espécie, a peste, a guerra, a fome.

Quando morrerem, e suas almas lhes abandonarem, providencia que a carne deles pereça até o julgamento. Só nesse dia os VIGILANTES e IMPUROS serão destruídos.”

 

Hecóluvos 1 e hecóluvos 2

Assim eu interpreto: os gigantes criados em experiências genéticas geraram espíritos, consciências que não passaram pelos processos de evolução de longo prazo (morte, reencarnação, karma, aprendizado), portanto, seriam espíritos moralmente ignorantes, com ausência de sentimentos, mas que ao morrerem fisicamente ficariam internados na Terra juntamente com os astronautas deuses, que também perderam a “imortalidade física” ao terem contato sexual com as mulheres da Terra.

 

Essas entidades, não podendo mais retornar ao mundo físico por meio da reencarnação (que não é administrada por eles) teriam que ficar presas ao nosso mundo até que o período de 70 gerações fosse cumprido.

 

Muito provavelmente esse período de tempo foi calculado pelas altas esferas de luz como sendo o tempo necessário que a humanidade levaria para atingir o grau de evolução moral e tecnológica que atingimos nos dias de hoje.

 

Essas entidades exiladas (ou amotinadas) continuaram atuando, entrando em contato com povos e civilizações por meio da sintonia, por meio da inspiração, por meio da mediunidade, passando a ser adorados como deuses, e muitas vezes exigindo até mesmo sacrifícios humanos (a necessidade dessas entidades de terem contato com o mundo material).

 

A destruição dos VIGILANTES (anjos caídos, deuses) e dos IMPUROS (criados pelos anjos caídos, quem sabe os “Exus” – mensageiros – citados em religiões afro-brasileiras) faz referência ao seu banimento da Terra, quando o prazo para a ação deles se expira.

 

Devemos lembrar que a Terra, sendo um mundo decimal, é um mundo aonde experiências com a dualidade são levadas a cabo.

“Quanto aos vigilantes que te enviaram para suplicar por eles, diz que a punição vem DA REVELAÇÃO QUE FIZERAM ÀS MULHERES. Por isso jamais terão graça e paz.”

Como vimos nos artigos anteriores sobre esse assunto, os anjos caídos ensinaram as mulheres a arte da sedução, a arte de ler oráculos, os encantamentos, a fazer poções mágicas usando a química da natureza (ervas e raízes).

 

No tarô a energia masculina é a energia da ação, da realização, da expansão.

 

Já a energia feminina é a da modificação, da restrição, da conservação.

 

A humanidade na época fosse muito ingênua (não sabiam diferenciar o bem do mal), e como as mulheres é que dão o direcionamento (energia da modificação, para aonde o homem deve olhar, dirigir a sua energia de ação), pode dessas revelações que nasce o novo curso que a evolução humana na Terra vai tomar.

 

Pela Lei do Karma, os vigilantes e gigantes contraíram uma dívida muito grande perante a Justiça do Universo.

 

Por isso, por um longo tempo foram condenados a não ter graça e paz.

Agora, finalmente temos condições de discorrer sobre o outro mundo citado no final do segundo artigo sobre o Livro de Enoch: Hecóluvos.



Esse é um planeta que existe em outra realidade dimensional, que não a física na qual nós estamos inseridos.

 

Embora ele esteja em rota de aproximação com a Terra, ninguém vai olhar para o céu e conseguir vê-lo fisicamente.

 

Sua visibilidade está restrita aos sentidos que vão além dos nossos cinco convencionais.

 

Na literatura espírita ele é denominado planeta chupão.

 

A passagem dele por nosso sistema solar (que ocorre no tempo presente, o final do prazo das 70 gerações) é de remover em todas as dimensões de expressão  da vida todas as energias e seres de vibração energética moral mais densa (animais e plantas, portanto, estão excluídos dessa faxina), levando-se em consideração a evolução de cada planeta do nosso sistema solar.

Essa limpeza ocorrerá, segundo algumas fontes em dimensões 3D, 4D, 5D, ..., até atingir o patamar de 9D.

 

Então é nesse evento que ocorrerá a chamada destruição dos VIGILANTES e IMPUROS, na medida em que forem banidos da Terra (portanto, não necessariamente destruídos como é citado no Livro de Enoch de forma figurada), quando uma verdadeira limpeza será feita no plano astral do planeta Terra.

 

E não só eles que partirão de nosso mundo, mas também todos os espíritos e/ou consciência terrestre que não conseguiram evoluir ao patamar estabelecido pelas esferas superiores durante essas 70 gerações.

 

Mas esse banimento não significa que eles serão eternamente exilados de nosso mundo: assim como nosso mundo recebeu espíritos exilados de outros mundos, agora será a vez de outros mundos primitivos receberem espíritos exilados da Terra.



Mas há uma grande diferença entre os exilados que nós recebemos no passado e os exilados que nós enviaremos: os exilados que nós recebemos vieram acompanhados por uma delegação de visitantes físicos também, em terceira dimensão, e que receberam Enoch para ser transformado em “escriba”.

 

Já os exilados que nós enviaremos não terão esse acompanhamento de terceira dimensão, visto que ainda não dominamos perfeitamente a tecnologia das viagens espaciais de longo curso e técnicas de colonização de outros mundos.

 

São conhecimentos ainda muito teóricos em nosso mundo.

 

Esse fato tem suas vantagens: evitará o problema dos “astronautas amotinados” (anjos caídos) que ocorreu em nosso mundo.

 

É uma experiência que pelo visto não será repetida tão cedo...